domingo, 14 de dezembro de 2014

Era uma vez uma bailarina...



Diferente da maioria das crianças, eu não me recordo de ter tido o sonho de ser bailarina. Isso nunca fez parte dos meus desejos de menina em nenhum momento da minha vida, embora eu achasse lindo. Mariana já está no ballet, a cada dia que passa ela se mostra mais interessada nas aulas, disciplinada e concentrada. Ela fazia ballet na escolinha em Cambé e era tudo mais em tom de brincadeira. Quando voltamos pra Curitiba nós a matriculamos no Studio D, uma escola tradicional daqui, a maior do estado, técnica e profissionalizante em ballet clássico. O que eu achei que seria só curiosidade e brincadeira, está se desenhando como interesse. Mês passado ela passou de nível e teve sua primeira apresentação junto com todas as bailarinas da escola, em um dos maiores teatros daqui de Curitiba. Mil sentimentos invadiram meu coração, mil coisas passaram pela minha cabeça, coisas de mãe, coisas de filha...
E foi assim...



Ao ver as meninas maiores da escola com o traje de ballet, ela me pedia pra dançar, mas a escola só aceitava à partir de 3 anos. Foi um longo ano, com ela me pedindo pra fazer ballet todos os dias. Esse ano conseguimos matriculá-la, não houve uma única vez que ela tenha faltado, ou demonstrado preguiça, ou desinteresse. As aulas eram bem lúdicas, mas sempre com técnica, disciplina e ritmo.

A escola era pequena e as apresentações dela limitavam-se à datas especiais como dia das mães, festas da escola e etc... Mesmo assim ela sempre me mostrava as coreografias, me explicava sobre os exercícios e "ensaiava" pra eu ver. Certa vez ela me disse que não queria mais que eu assistisse as aulas dela, porque elas estavam ensaiando uma dança especial para o dia das mães e era surpresa. Sempre me dizia que não podia faltar, que ensaio é importante. E ela só tinha 3 anos...

Mudamos pra cá na metade do ano, e uma das primeiras coisas que ela nos perguntou foi sobre o ballet, se iria continuar. Não perguntou praticamente nada da nova escola, a preocupação dela era o ballet. A escola dela terceiriza as aulas através do Studio D, conseguimos matrícula e ela seguiu no mesmo nível (Pré-baby). Há dois meses atrás nos avisaram que a escola faz um espetáculo de encerramento com todos os alunos, um ato cênico onde todos participam. Eu nem tive tempo de conversar sobre isso em casa e ela chegou radiante... "Mamãe você sabia? Eu vou dançar no espetáculo, no palco do teatro bem grande, cheio de gente! Eu vou ser uma bailarina de verdade!"




Foram muitos ensaios fora de horário, no contra-turno, aos sábados... Eu viajei muito esse ano, e contei com a ajuda de uma avó, da outra avó, o pai levando pra lá e pra cá... E ela chegava e ainda ensaiava em casa. Nunca reclamou de acordar cedo pra ir, de ensaiar tantas vezes a mesma coisa, nunca reclamou de nada!



Então o grande dia chegou... Ela estava alegre, ansiosa, me fez ler umas quatro vezes a orientação da roupa e horários, e dizia que tinha fazer certinho o que estava escrito. E assim fizemos...


Foi pra concentração com o pai, eu fiquei olhando eles irem, vi tanto amor, confiança e cumplicidade. Ela ansiosa, ele tão ansioso quanto ela, eu orgulhosa... Tão pequena, tão determinada, decidida. Foi tranquila, sem medo, feliz...


Eles estão numa fase irritante, ela e o Leo brigam o tempo todo, se cutucam, disputam atenção, se provocam. O dia todo um faz fofoca do outro pra mim, e tudo sempre acaba em choro... Eu contorno, tento, mas nunca contento... rsrsrsrsrs. Coisas de irmãos, que brigam mas logo estão brincando, que defendem um ao outro. Ele estava lá, ansioso, orgulhoso dela, disse que a irmã era corajosa, porque o teatro era grande e ela era pequena. Atrás dele estavam meus pais, e estavam conosco também meus sogros.


Todo o corpo de ballet da escola se posiciona, e lá longe eu vejo minha pequena, entrou certinho, se posicionou e se apresentou ao público. Nessa hora eu fiquei pensando, o que será que se passa na cabecinha dela? O que será que ela sentiu nesse momento que era algo que ela queria tanto? Eu nunca vou saber, e ela nunca saberá me dizer, mas sei o que eu senti... Um orgulho enorme, um amor que chega a latejar, a sensação de estar feliz por ver um filho feliz. 





Ela simbolizava a primavera no espetáculo, fez tudo certinho até o final, estava super concentrada. 


Como elas são muito pequenas, só participaram do 1º ato, Bela Adormecida é um espetáculo longo e seria muito cansativo... Pediram que as buscássemos no palco durante o intervalo; meu pai foi todo babão... E essa carinha feliz dela precisa de legenda? Foi um dia de muito amor ♥

____________________________________________________________________

Dias assim me fazem pensar, nas escolhas que fiz pra minha vida, dos rumos novos que estes caminhos têm tomado. Penso nas culpas que eu carrego por sempre achar que poderia fazer melhor, penso nas cobranças que eu me faço, nos questionamentos de todos os dias. Diariamente me pergunto se estou no caminho certo, onde estou errando e acertando, o que posso fazer pra melhorar... O que posso fazer pra compensar minhas ausências...

Não é fácil ser mãe, ter a responsabilidade de vidas pra cuidar, de formar seres humanos, de prepará-los pra essa vida cruel que os espera aí fora. Por isso faço questão de fazer tudo que posso sim, faço todas as vontades deles dentro da nossa possibilidade e do merecimento deles, sendo sempre coerente com os fundamentos de educação que escolhemos pra eles. Não sigo muitas regras, não tenho fórmula, não escuto palpites. Eu apenas sigo a minha intuição sobre a melhor forma de lidar com eles, eu sigo meu coração... Peço sempre a Deus que me dê sabedoria e paciência, que me ajude a tomar sempre as decisões corretas. Evito repetir com eles situações que eu vivi e que nunca me acrescentaram em nada, coisas que me magoaram, que nunca funcionaram e diferente disso, tiveram efeito contrário. E acho que esse ainda tem sido o melhor dos caminhos...
Será que isso vai adiante? Será que ela será mesmo uma bailarina? Não sei e isso não importa... Como sempre digo pra eles: "Vocês podem ser o que vocês quiserem, basta querer e lutar pra que aconteça". Não importa se o Leo não terá padrões físicos pra ser um astronauta, se ela não tem biotipo de bailarina... O que me importa é não ser amarga, não deixar que eles se limitem ou deixem de sonhar porque em algum momento alguém disse que eles não podem ser o que desejam, baseados nos seus julgamentos e frustrações. Quero que eles tenham coragem de correr atrás do que sonham, do que querem, mesmo que pareça improvável, mesmo que seja impossível! E se no meio do caminho realmente não for possível, que aprendam a se reinventar, a superar, a serem fortes... Mas que não deixem de acreditar, de sonhar e principalmente, sair da zona de conforto e buscar o que querem ser. Eu os crio com independência e tomada de decisões, ensino a fazer escolhas e suas consequências.

Eles serão o que quiserem, o que puderem... E eu estarei sempre na platéia, seja pra aplaudir o sucesso ou dar colo quando as coisas não derem tão certo. Estarei ali sempre pronta pra buscá-los no palco a hora que for preciso...
Beijos e boa semana ♥

15 comentários:

Cláudia disse...

Como não amar?
Um relato delicioso de uma mãezona que acerta sempre, porque quando erramos vom intenção de acertar já é ponto pra nós. Fui uma mãe muito ocuoada, Tesoureira de banco, passava horas no trabalho...e me cobrava e tinha minhas incertezas e fragilidades, como você e toda mãe...Hoje, passados anos, olho oara minhas três crianças, felizes, honrados, honestos, generosos, responsáveis. ..lindos, e me pergunto: onde foi que eu acertei?
Vai dar tudo certo, você vai ver. Amém?
Beijo.

Telma Maciel disse...

AI, que lindo... Que lindo ver essa pequena tão determinada assim! Muito lindo vê-la se desenvolvendo e sabendo o que quer. E é tão lindo ver o apoio que ela tem de todos!
Ficou linda na apresentação (e eu ia era morrer desidratada de tanto chorar, rs).
Lindo, lindo!!!
Beijo imenso!!

Marlene Pires disse...

Tays que orgulho enorme, e o que dizer de uma fofura dessa, a Mariana parece muito determinada e segura de si. Você tem mais é que se sentir orgulhosa mesmo!!!!
Seu post ficou lindo, fui lendo e vendo as imagens e me colocando no seu lugar, nossa que emoção, imagino vcs pais e avós quanta emoção. Parabéns pelos filhos lindos!!!
Beijos e fique com Deus,
Marlene

Tita disse...

Adorei tudo o que vc escreveu!! Tenho certeza que está sendo uma ótima mãe!parabéns!��

Ivone Delgado disse...

que lindo isto, amei teu sentimento e o modo como dizes que és mãe, estás correta, certissima, é assim memso . um grande beijo e diga que Mariana estava linda , no lugar certo...o del aneste momento, av ida é feita de momentos . um gde. bjo pra familia.

Regina Helena Espírito Santo disse...

Olá!

adorei a reportagem sobre a " pequena grande " bailarina!!!
parabéns a toda a família e um lindo Natal carregado de bençãos!

Beijos,
Regina

Nilza Toledo disse...

Chorei. Emoção pura!!!Deus abençõe você e sua família!!!FELIZ NATAL(O SE PRESENTE FOI O MAIS BONITO)..QUE 2015 SEJA AINDA MAIS CHEIO DE SURPRESAS MARAVILHOSAS.BJS

Sandra Mara disse...

Linda história construída com tanto amor! A filha é linda como a mãe que junto à família a incentiva a conquistar um universo de possibilidades. Beijos

Lauisa Nogueira disse...

Que lindo post...fiquei feliz e emocionada..parabéns Mari e parabéns a família por tanto amor...eu me senti assim quando meu filho mais novo resolveu competir no Mundial de karatê...mistura de orgulho, medo, carinho..enfim ser mãe é tudo isso..beijus e tu és muito especial!

Fernanda Scherer disse...

Que post lindo!
Muito emocionante! Minha filha se apresentou há dias atrás e senti muita emoção e orgulho. Os olhos transbordaram!
Parabéns pela Mari!
Beijos e boa semana!

Carine Gimenez disse...

Como não se emocionar com um texto desse?
Sua família é linda Tays e eu tenho um carinho enorme por vocês.
Essa bailarina é encantadora.
Beijos.

Go Artes disse...

Como escreve bem essa menina!!!
Ao lê-la, vamos viajando em suas experiências e emoções!!
Parabéns Tays, ao longo da minha jornada de mãe,(a casula já está com 33 anos)foi + ou - assim que crie meu 3 filhos. Com independência e assumindo sonhos e ilusões. Deixo-os viverem as suas vidaa mas, sempre pronta para auxiliá-los.
Lindo vê a felicidade da Mariana. Minha netinha (5 ano) também dançou no encerramento da sua escola, onde ela faz balé. Graças a Deus, pude assistir e fui as lágrimas.
Xerocas carinhosas e parabéns pelas suas vitórias e conquistas.
Linda semana pra ti.
Go

Mary disse...

Querida Tays, que delícia de post, emocionante! Parabéns e sempre muito sucesso pra vc e para sua pequena e grande familia.
Bjkas

Veronica Kraemer disse...

Ta minha marida amada, me emocionei com este post!!! Lindo e linda a nossa Mari apimentada, que de pimenta não tinha nada aqui, né? Que linda, fofa, e que determinação!
Lindo ver você, o Léo, o David e a família , todos juntos e se apoiando!
Chorei maridinha!
Amo vocês, e lhes desejo sempre o melhor!
Beijossssssssssssssss
Vero

Fátima Oliveira disse...

Olá. Quero felicitar pela coragem e força e acima de tudo pelo amor aos filhos em especial à menina e por apoiar um sonho dela. Tenho a certeza que no futuro ela saberá o quanto isso a impulsionou para o sucesso. Parabéns

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...