Pés de cabaça, pés de galinha!

09:04 Tays Rocha 17 Comments


Quem veio primeiro? O ovo ou a galinha? Aqui pra nós foi a cabaça! rsrsrsrsrsrsrsr. Muita gente me pergunta onde conseguimos cabaças (purungos) pra criar nossas galinhas e bichinhos, onde compramos e quem são nossos fornecedores. Aqui está a resposta, não compramos, plantamos! Também recebemos muitas doações de amigos que plantam, e mesmo assim, em alguns períodos não temos o suficiente para produzir. Muita gente questiona preço... Além do trabalho de preparar a peça, da pintura, da arte em si, tem esses bastidores que ninguém vê. Preparar a terra, semear, cuidar com carinho, aguar todos os dias, proteger de insetos e parasitas, aguardar o tempo de secagem pra só então colher. Todo esse trabalho é feito pela minha mãe, ela cultiva na casa dela, e cuida dessas bichinhas com o maior carinho do mundo, inclusive conversa com elas (abafa!). Há 2 anos eu não ia pra lá, estava morrendo de saudades, foi muito bom ter ficado perto da minha família esses dias e rever amigos. Minhas férias começaram saindo de Cambé, rumo a Guarapuava, minha cidade natal. Abaixo estão algumas fotos da viagem e de detalhes dos pés de cabaça pra quem quiser conhecer um pouco mais. Vem viajar comigo? :)

 

Olha, pense numa viagem comprida... Eu reluto muito em viajar com as crianças esses trechos muito longos pra ficar poucos dias, é cansativo demais, além do calor que judia, nesse dia estava 34º, tempo seco, sem uma brisa... As crianças se entediam, reclamam, e minha paciência vai pro ralo rapidinho, porque quem aguenta #mimimi por 400 Km né? Não sei vocês, mas eu não...rsrsrsrsrsr.


Esse trecho que liga o norte ao oeste do Paraná passa por várias cidadezinhas, cooperativas, vilas rurais, colônias. É uma paisagem linda de se ver, bom demais sentir o ar puro e ver a estrada desaparecendo no horizonte. Pra mim, é uma sensação de movimento e liberdade que a nada se compara.


Tirei essas e muitas outras fotos de dentro do carro em movimento, a 90 km/h aproximadamente. Gostaria de muitas vezes poder parar, descer e fotografar com calma, até porque a qualidade das fotos seria outra, mas é inviável, porque meu marido pediria o divórcio a viagem que já é cansativa, se estenderia demais. Pelo caminho muitos pinheiros, cedros, eucaliptos e a nossa Araucária, símbolo do estado do Paraná, e protegida por lei sob risco de extinção... Não sou de reclamar, e procuro o lado bom das coisas sempre, se a viagem é cansativa, ao menos a paisagem é linda e isso vale muito pra mim. A viagem foi tranquila e chegamos super bem.


Quando minha mãe disse que os pés de cabaça estavam já com frutas, fiquei louca pra ver, mal cheguei e fui bisbilhotar... rsrsrsrs. Esse é um dos pés que minha mãe tem, essa espécie é trepadeira, ela cresceu agarrada na tela de proteção; pra quem conhece, ela cresce semelhante ao pé de chuchu.



Abrindo caminho entre as folhas, com cuidado, encontrei uns filhotes de galinha... Purunguinhos crescendo fortes e verdinhos, se vocês observarem, ele já tem desde pequeno assim, o formato que ficará depois. Esse é o formato que mais usamos para fazer as galinhas. O pé vai crescendo e as gavinhas vão se agarrando no arame, o que dá sustenção e ajuda a equilibrar o peso.





Essa já é uma outra espécie, ela é rasteira e se espalha pelo solo, é assim bicolor, mas depois de seca, fica igual às outras, da mesma cor. Na ponta delas fica a flor, que depois seca e cai, e então o fruto continua crescendo. No detalhe, uma família de cogumelos, fico toda boba com a perfeição da natureza...



E no fim da tarde quando o sol baixa, é hora de cuidar dos projetos de galinha... rsrsrsr. É preciso aguar os pés de cabaça e a horta que minha mãe tem no fundo do quintal, cheia de verduras frescas, crocantes e orgânicas. Dá trabalho, é preciso dedicação, amor e paciência, e isso a Mariana e o Leo estão aprendendo desde cedo. Meus filhos tem uma vida muito urbana, e sempre que podemos, aproveitamos essas oportunidades de contato com a natureza ao máximo. E perguntem se ela se divertiu...


E enquanto eu editava as fotos pra esse post e escrevia o texto, por acaso recebo um email da minha mãe com várias fotos de peças novas, encomendas e essa aqui em cima... Olha o tamanho do franguinho já! kkkkkkkkk. Estão lindos, fortes e crescendo rápido, a plantação vai bem e em breve teremos bastante material pra produzir e atender vocês. Fala gente se não é lindo? E além de tudo patriota :)


Qualquer semelhança não é mera coincidência...

Estou tentando colocar o blog e minhas postagens em dia, estou revisando pastas, separando fotos e aos poucos vou colocando aqui as fotos da viagem e as novidades. Tem de tudo um pouco e um pouco de tudo, porque nem só de trabalho vivem as ruivas... rsrsrsrsr

Beijos e um excelente dia ♥


Leia também

17 amigos comentaram, comente também!:

Tays, elas parecem abóboras quando estão no pé... Eu nunCa tinha parado pra pensar em como cresciam. Rs
O trabalho da sua mãe é perfeito, muito preciso e cheio de detalhes.
Quanto às viagens, se eu pudesse também pararia o carro para fotografar a cada km, mas nem ouso pedir isso... Rsrsrs
Beijo grande.

Clau

Ai me apaixonei por vc. Primeiro pq super me identifiquei com os #mimimis das crianças e tbm com as mini aboboras... rsrsrs como as patriotinhas em saladas... elas viram franguinhos lah dentro no quentinho rsrsrs. Acho qvou deixar alguns crescerem e secar e enviar para a artista ai. Beijos.

Tays,
Adorei saber de onde vem os franguinhos. A mega urbana aqui nem imaginava de onde vinham essas cabaças. rsrs... Vivendo e aprendendo. Blog da Tays também é cultura. E que linda paisagem que vcs tem aí no Paraná. Quando vc começou a falar da viagem de 400km no calor só pensei em viagens de carro pelo meu Ceará, pelo interior que deve estar tão seco, tão árido. Uma pena de se ver. Aí tem calor, mas pelo menos tudo é verdinho...
Beijos
Adriana

Go Artes disse...

Adoro suas estórias!
As fotos estão lindas!
Aqui no nordeste temos um pé de cabaça que não é trepadeira. Quando for possível te mando uma foto.
Lindas as galinhas, parabéns para as duas talentosas artesãs.

Xerocas carinhosas

Marly disse...

Oi, Tays,

Achei este post muito legal, nele há uma "matéria" completa sobre as cabaças (futuras galinhas) e tudo ficou entrelaçado com a viagem e as belíssimas paisagens paranaenses. As plantas da sua mãe são vigorosas e bonitas, sinal de que são bem cuidadas, rsrs.

Um beijo!

Nilza Toledo disse...

Boa-noite,Tays,,,,,vc nem imagina o quanto suas noticias nos impulsionam para continuarmos na batalha,Deus continue abençoando vc e família,abraços fraternos...

Fátima Rufino disse...

Tays,
Sem comentários, rsrsrs... você e sua família são o máximo!
Obrigada por compartilhar situações tão lindas conosco. Este post foi mais uma maravilhaaa!
Muito obrigada!
Bjs.

Cristiane V. Meloni disse...

Adorei conhecer a origem de uma cabaça!!! Obrigada

Márcia Kamano disse...

Puxa Tays vivendo e aprendendo! Sou do interior, bem interior mesmo, mas não sabia que as cabaças nasciam assim! Crescem como chuchu interessante e as rasteiras são semelhante a abobrinhas!!! Show de "matéria"! E depois ainda viram galinhas lindas!
E parabéns à sua mãe!!!
Que delícia de férias, apesar do cansaço da viagem longa, tudo lindo!
beijos carinhosos

ALE DOSSENA disse...

Tays querida!!
Eu amo essa paisagem! Daqui de Curitiba a Dionísio Cerqueira são 600km e realmente (mesmo eu sem crianças) é cansativo demais! Prá quem dirige é um pouco pior (no meu caso que não amo horrores pegar num volante), mas a paisagem compensa tudo. Adoro!
Lindas fotos e suas galinhas são um primor!!
Beijos e ótimo dia!

Marcia Aparecida Christino disse...

Tays, como é duro nascer e viver no carpete... rsrsr..... não imaginava o pe de cabaça assim, adorei....( se desse em caso eu gostaria muito de uma muda....., me dê dicas de onde comprar eu vou procurar aqui em sp/capital, adorei.....) , e as paissagens realmente são lindas, qdo eu viajo de carro p/ o interior ( fui p/ sorocaba pela rod Raposo Tavares muito verde, que lindo, curti demais tb....), ainda bem q na minha casa tenho meus quase 2 mil vasos de plantas diversas, assim eu curto um pouco a natureza tão escassa.


bjs e feliz 2014 p/ todos.

liliane disse...

Tays, flor do meu jardim
Um comentário meu foi pro beleléu.
Os meninos estão enormes né.
Os franguinhos nascem no jardim?
que delícia, me inspirou.
bjs.
que pena você morar tão longe de mim, queria tanto poder dar um abraço.
bjs.

Fátima Oliveira disse...

Oi Tays, amei o que voce postou.Como vivo só na cidade não tinha conhecimento de como nascem e se formam as cabacinhas ou filhinhos de galinha, para mim hoje foi uma lição.Adorei e parabéns pela familia.
Um abraço Fátima Oliveira

Amei, amei este post!!! Fotos, viagem, caminho da roça e natureza que transforma em arte...show!
Adoro a cabaça e até comprei uma outro dia, quem me dera conhecer alguem que tem o pé em casa, hehehe!
Quando morava em Minas e meu pai tinha sítio, nós plantávamos p chuchu cabaça, uma delícia para fazer refogadinho!
Adorei, parabéns!
Beijos!!!
CamomilaRosa

Maridaaaaaaaaaaa linda, amei a plantação dos purungos (é assim? kkkkkkkkk), e as fotos da viagem estão divinas!
Que saudades de tu!!!
Beijossssssss
Vero

Sandra Mara disse...

Tays, se eu encontrar essas cabaças verdinhas não deixo virar frango. Nem sei se é comestível, mas estou salivando por um refogado com elas. Amo os objetos feitos a partir de cabaças. Bjs

Sarah disse...

A cabaça não apodrece depois ou antes de vc fazer a galinha?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...