A lista dos meus desejos - Grégoire Delacourt

08:43 Tays Rocha 14 Comments


A melhor parte de você falar sobre o que gosta sem expectativas, metas ou compromissos, é se surpreender com o retorno, com a interação e participação dos amigos. Sempre li e leio muito, já postei algumas resenhas e dicas aqui no blog anos atrás, mas acabei não fazendo mais por pura falta de tempo... Desde o ano passado eu tenho comentado no Facebook e agora também no Instagram sobre livros que eu leio nas horas vagas (oi? rsrs), muita gente me pede resenhas, minha opinião e o que o livro me trouxe. Resolvi apertar um pouquinho mais meu tempo e começar a trazer pra cá também algumas dicas e opiniões, acho essa troca muito bacana, e o debate que se segue entre os amigos e leitores também. Em geral eu compro livros com base nas indicações que recebo, de amigos ou de blogs literários, e também quando passeio pelas livrarias e me apaixono por eles ♥
Eu não julgo um livro pela capa, mas muitas vezes eu compro sim. E assim foi com esse livro, que quando vi na prateleira não pensei um único segundo, amei a capa, o título e fiquei ainda mais interessada quando li a sinopse. A lista dos meus desejos de Grégoire Delacourt é um livro que me encantou pela mensagem que nos passa, que é de um peso muito maior do que aparenta ser. Um livro pequeno eu diria, mas com uma mensagem muito significativa, pra se pensar... Veja abaixo algumas informações, detalhes, trechos, fotos e comentários que valem à pena ser citados.






SINOPSE
"Até que ponto o dinheiro traz felicidade? Essa é a questão central de A lista dos meus desejos, o fenômeno de crítica e público que ultrapassou a marca de 400 mil exemplares vendidos na França e será levado às telas em breve. O livro conta a trajetória de Jocelyne Guerbette, uma mulher de meia-idade que vive numa pequena cidade francesa e divide seu tempo entre o trabalho no armarinho e a vida pacata com o marido. Tudo muda quando ela decide jogar na loteria, pressionada por duas amigas. Sozinha, ganha 18 milhões de euros. É o início de uma reviravolta em sua vida. Por um lado, tudo em que ela sempre acreditou começa a desmoronar diante de seus olhos. Por outro, Jo poderá descobrir a felicidade onde nunca havia esperado. Aos poucos, sua vida muda de forma irreversível."


ISBN: 9788579622137 
Livro: A Lista dos Meus Desejos
Autor: Grégoire Delacourt
Editora: Alfaguara
Tradutor: André Telles
Edição: 1
Ano: 2013
Páginas: 152



 PONTO DE VISTA

Vi esse livro e não me recordava de ter lido nada dele em lugar algum. Me encantei pela capa, pela delicadeza da ambientação da imagem e além de tudo acompanhava um marcador de páginas imantado que achei fofo demais! Vocês já sabem, sou feita de detalhes...rsrs. Li a sinopse e me interessei, resolvi comprar e vim pra casa torcendo pra que a escolha tivesse sido acertada e que ele não me decepcionasse. Li em dois dias, devagar, com bastante calma e tranquilidade. A leitura apesar de ser melancólica em alguns trechos, é em si muito agradável, fluida, nos prende com facilidade, é de uma delicadeza surpreendente. A narrativa é simples e gostosa de ler, a abordagem é suave, mesmo os temas sendo pesados muitas vezes. Dentro desse pequeno livro, tem uma mistura enorme de emoções e sentimentos de intensidades diversas.
"Pois eu gosto muito das palavras. Das frases longas, dos suspiros que se eternizam. Gosto muito quando as palavras às vezes escondem o que dizem; ou o dizem de uma maneira nova."

Muita gente certamente se identificará com o comportamento e visão de vida de Jocelyne, ao menos em alguma parte da vida. Bem como o trecho que fala sobre o blog de trabalhos manuais que ela criou pra se distrair, que acabou virando um grande sucesso, e que é uma das coisas que mais a faz feliz, a descoberta desse novo universo de amizade, conhecimento e cumplicidade.

"Seu blog é uma surpresa... Acha que sofremos com a falta de contato? Será que o virtual não matou o erotismo? Eu a interrompo. Não sei, digo, não sei. Antes a gente escrevia um diário íntimo, hoje é um blog."

Pude concluir que Jocelyne é uma pessoa que colocou de lado os seus sonhos de juventude em troca do seu amor, e inicialmente a impressão que nos passa é que ela parece arrependida das suas escolhas. Mas no decorrer do livro, o autor nos mostra que na verdade ela está conformada com as suas escolhas, já que quando cita suas alegrias e prazeres da vida, ela se refere a vivências do cotidiano, eventos comuns e atitudes que envolvem valores sentimentais.
"Minhas mãos mergulham nos tecidos, meus dedos estremecem ao contato de organdis, flanelas finas, fustões, patchworks. Sinto então a embriaguez... Nem todo o ouro do mundo compraria essa vertigem. Aqui todas as mulheres são bonitas. Seus olhos irradiam luz. Com um pedaço de pano já imaginam um vestido, uma almofada, uma boneca. Fabricam sonhos; carregama a beleza do mundo na ponta dos dedos..."
De tudo, eu pude entender que o autor tenta nos mostrar que a felicidade pode estar nas pequenas coisas, na nossa vida diária, ao nosso redor. E se no início a lista de desejos de Jocelyne era simples, tão simples que chegava a ser engraçada... Depois ficou nítido que ela desejava mais do que aquilo, mas que o comodismo e o medo a paralisaram, pautada pelo medo de se arriscar e de perder o pouco que tinha, com o que julgava ser feliz até então.
"Porque nossas necessidades são nossos pequenos sonhos cotidianos. São nossos pequenos afazeres, que nos projetam para amanhã, para depois de amanhã, no futuro..."
Pra mim o que ficou e me tocou bastante foi que essa narrativa me fez pensar sobre sentimentos, sonhos, ambições e pensamentos que temos em relação ao que efetivamente tem valor na vida. Fica claramente estabelecida a dualidade entre os valores materiais x sentimentos e como temos lidado com isso em nossas vidas, o que tem valor maior pra nós. O estilo de escrita de Grégoire Delacourt é quase lírico, transmite delicadeza, suavidade, beleza e proporciona uma leitura rápida e fluida. 
"Sim, acho que tudo anda muito rápido. Falamos rápido demais. Refletimos rápido demais, quando refletimos! Enviamos e-mails, mensagens sem reler, perdemos a elegância da ortografia, a polidez, o sentido das coisas..."
A única crítica que eu tenho, o único sentimento que me ocorreu ao final do livro foi de que o desfecho foi muito rápido, creio que poderia ter sido explorado em mais capítulos e de forma mais detalhada, não cheguei à conclusão se foi um final feliz ou não. Talvez eu tenha sentido isso por ter gostado tanto e ter acabado tão rápido, senti um certo vazio, uma leve melancolia.
"Que o sofrimento dele terminaria por ficar mais leve, voar; nos deixar. Há infortúnios tão pesados que somos obrigados a deixá-los partir. Não podemos guardar tudo, represar tudo."
Ao término desse livro ficou ainda mais evidente que a felicidade é uma ideia subjetiva e alcançada de formas diversas, e muitas vezes os valores materiais são o que menos tem importância nessa busca. Além disso esse livro veio de encontro a uma fase de mudanças e redescobertas na minha vida, de algo que venho falando há muito tempo: que o comodismo gera frustração e uma vida incompleta, que muitas vezes pra sermos felizes de verdade, é preciso sair da zona de conforto, porque ser feliz dá trabalho... 
"Conheço a odiosa vitória do tédio sobre o desejo, do barulho da água vazando sobre a paixão, mas não posso me impedir de continuar a acreditar. O cansaço me vence no âmago da noite. Acordo esgotada, sonhadora, amorosa."



A não ser pelo final pouco explorado, eu gostei desse livro, mexeu comigo, me inquietou, me fez pensar bastante, recomendo muito!

Quem já leu e quiser deixar a opinião nos comentários, seja muito bem-vindo.

Beijos e até a próxima leitura ♥

Leia também

14 amigos comentaram, comente também!:

Oi amore !!! vc sabe que adoroooo vir aqui !!! tem sempre um detalhe para encher meu coração !!!
Depois de ler o post vejo que não estou preparada para ler esse livro.... sensação estranha.
Vivo o momento de ler tudoooo sobre bruxas... magia... mundos encantados !!!! rsrsrs !!! acho que minha criança interior quer brincar de fada !!! kkkk
Mas quando acontecer vou ler a sua indicação !!!
Beijos !! te amo pra sempre !!!

Marly disse...

Oi, Tays,

Ah, vou querer ler este livro, primeiramente porque sempre me interessei pelos dois aspectos das coisas, nesse caso, o lado bom e o lado complicado de se ter dinheiro, rsrs. E o restante também aproxima muito a personagem de nós, né? rsrs.

Beijo e ótima semana!

Dani Ferraz (Danica) disse...

Tays, minha ruiva, tinha que ser tu, né?
Com um post desses de encher os olhos e o coração da gente, que imagens e trechos lindos que você escolheu. Fiquei interessada, vou procurar pra ler. Resolvemos montar um clubinho do livro, por isso sempre digo que você é luz na minha vida e só traz coisas boas pra nós.
Beijos com saudades demais.

Dani Ferraz

Dani Ferraz (Danica) disse...

Tays, minha ruiva, tinha que ser tu, né?
Com um post desses de encher os olhos e o coração da gente, que imagens e trechos lindos que você escolheu. Fiquei interessada, vou procurar pra ler. Resolvemos montar um clubinho do livro, por isso sempre digo que você é luz na minha vida e só traz coisas boas pra nós.
Beijos com saudades demais.

Dani Ferraz

Pela tua descrição tão delicada e pelos trechos selecionados do livro, tenho certeza de que vou amar lê-lo. Gosto dessa escrita lírica que você cita.
Obrigada pela dica, amiga!

Fátima Rufino disse...

Tays,
Mais um de seus posts lindos, encantadores e ão perfeitamente escritos... :D
Amei a exposição de suas impressões a respeito do livro, do assunto tratado e de como ele é abordado pelo autor.
Vou comprar e me deliciar, pois também me identifico com esse tipo de abordagem sobre felicidade, dinheiro, valores etc, escrita de maneira leve, suave.
Depois espero voltar aqui e deixar minhas impressões a respeito da obra e de como remexida por ela ;)
Obrigada por compartilhar suas impressões conosco.
Grande beijo,
Fátima Rufino.

Tays,
Não conhecia esse livro, mas se eu visse numa livraria eu teria comprado pela capa sim! Sou dessas, amo comprar livros pela capa. As vezes acerto, outras nem muito. Mas pela sinopse e pelo que vc falou do livro, parece ser bem interessante. O conceito de felicidade, como é profundo isso. As vezes já somos felizes e nem sabemos! Vou procurar. Adorei a sua resenha, faça mais!
Beijos
Adriana

Tays,
Não conhecia esse livro, mas se eu visse numa livraria eu teria comprado pela capa sim! Sou dessas, amo comprar livros pela capa. As vezes acerto, outras nem muito. Mas pela sinopse e pelo que vc falou do livro, parece ser bem interessante. O conceito de felicidade, como é profundo isso. As vezes já somos felizes e nem sabemos! Vou procurar. Adorei a sua resenha, faça mais!
Beijos
Adriana

Paty Molina disse...

Ta sua linda! Eu já comprei livro que vc indicou aqui acredita? Estava com saudade das suas resenhas e pitacos! Eu também sou uma leitora voraz e estou sempre lendo normalmente dois livros ao mesmo tempo e embora muita gente ache que o brasileiro não lê,vemos hoje em dia que muiiitaaaa gente ama ler! Quero ver muitas sugestões aqui hein?
bjkas
Paty

Mari Rodrigues disse...

Adorei a dica, parece ser um livro maravilhoso...
Bjos, Mari.

Go Artes disse...

Tays,
Adorei a indicação, fica uma vontade de ler o livro. Já esta na minha lista. Gostei muito da resenha!

Xerocas e uma linda semana

Gal Teles disse...

Querida Tays,

Amei a sua postagem! Vou comprar o livro e depois comentarei para você.


Bjs

Oi Tays, gostei da indicação e vou comprar, amei seus comentários, também adoro ler, abraços carinhosos Maria Teresa

Fernanda Reali disse...

Levei a foto e e um trecho do teu texto, com link, compartilhando em minha página, porque tu escreveste tão bem e de forma tão completa, que eu nem me arriscaria a fazer minha própria resenha.

Não gosto de ficção, evito, porque sempre tenho ensaios ou biografias para ler antes, mas confesso que a capa me seduziu, assim como em O Bom Tricô, e também concrodo contigo sobre o desfecho ter sido rápido demais. Gostaria de saborear como as coisas se arranjaram e como Jo se sentiu na nova vida.

Beijoooo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...