29 de abril de 2011

Caixa porta-retratos de casamento


Já mostrei em postagens anteriores as outras peças com tema casamento que fiz prá vitrine da TeC na Feira de Scrap, essa é a última da série. Eu adoro essa peça, ela é uma caixinha com tampa, com porta-retrato nas laterais, com vidro e tudo. Na tampa usei Papel da Linha Básica, Papel Puro Glitter Prata cortado com Tesoura Decorativa Rio de Janeiro, sobre ele, Adesivo Chipboard Casamento. Nas fotos abaixo, os detalhes das laterais.


Eu pintei toda a peça, dentro e fora com duas demãos de PVA Fosco Preto True Colors e cobri cada lado com uma padronagem diferente do Papel da Linha Básica Branco e Preto. Esses arabescos eu retirei das Transparências, fixei com bailarina preta sobre Cardstock branco.


Esse lado foi muito simples de fazer, faixinhas de Papel Puro Glitter, a flor inferior também, cortada no Furador Gigante, sobre ela a florzinha preta, retirada também de transparência, miolo fixado com bailarina branca.


Nessa lateral fiz uma moldurinha ao redor do vidro com tirinhas de Papel Puro Glitter Preto, as cantoneiras e os arabescos eram das cartelas de chipboards estampados, pintei tudo com PVA Cromo Prata, para que não aparecesse nada colorido no fundo, depois de seco, fiz a técnica de emboss com pó e carimbeira prata. 


Esse lado deu um trabalho miserável... cortei flores em Papel Puro Glitter Preto, com o Furador Complexo, separei as pétalas uma a uma, sim... cada gotinha dessas é uma pétala, colei pacientemente e não contente com o sofrimento, sobre cada uma colei um chaton para dar brilho, na parte de cima, Adesivo Chipboard Casamento. Estive tão cansada que nem coloquei foto nenhuma, mandei assim mesmo prá empresa e quem viu a peça na feira deve ter visto com outras fotos.






Acima estão as fotos das outras peças que enviei nesse tema, prá ver os detalhes de cada uma, cliquem na imagem, ela redireciona ao post. 


E numa linha diferente, mais vintage/retrô, um outro modelo de caixa, também de casamento, que foi feito prá Arte Roter. A caixa em branco e preto foi prá feira, resumindo, não fiquei com nenhuma ;o( bem casa de ferreiro mesmo...

E aproveito prá lembrar e confirmar com vocês que amanhã tem Make & Take na Creare, das 10:30h às 12:30h, espero vocês por lá.

Beijos e bom final de semana ♥
Follow Me on Pinterest

23 de abril de 2011

Páscoa...

É ser capaz de mudar
É partilhar a vida na esperança
É lutar para vencer toda sorte de sofrimento
É dizer sim ao amor e à vida
É investir na fraternidade
É lutar por um mundo melhor
É ajudar mais gente a ser gente
É viver em constante libertação
É crer na vida que vence a morte
É tempo de paz, de renovação
É sobretudo tempo de esperança.

Que além da mesa farta, dos doces e chocolates, possamos também renascer e renovar. Desejo bons momentos em família, repletos de alegria, harmonia, amor e muita paz. Vou descansar esse final de semana e curtir meus pequenos e a família, volto no início da semana com novidades, fotos e novas postagens.

Desejo à todos uma Feliz Páscoa!!! 

Beijos achocolatados ♥

Follow Me on Pinterest

21 de abril de 2011

Paella de Frutos do Mar - Receita tradicional e uma opção facilitada

 Imagem daqui

A paella é um prato à base de arroz, típico da gastronomia espanhola e que tem as suas raízes na comunidade de Valência, daí que em Portugal seja comumente conhecido como Arroz à Valenciana. Surgiu na Espanha, nos séculos XV e XVI, na região de Valência, mais especificamente na região de Albufera, região de grandes arrozais e de grande produção de verduras frescas. Originalmente um prato popular, foi criada pelos camponeses que partiam para o campo com a paellera ou paella, arroz, azeite e sal e agregavam ingredientes da caça, legumes da estação e as sobras que possuíam. O tomate só foi acrescentado posteriormente, trazido da América por Cristóvão Colombo, e o frango, que era muito caro para os padrões da época.

O prato é chamado paella devido à paellera ou paella valenciana, uma espécie de frigideira, de ferro ou aço, onde são preparados vários pratos da culinária valenciana, como o arroz negro e o fideuá. A paella ou paellera, é uma frigideira rasa e grande (diâmetro mínimo de 30 cm), com duas alças. O formato da paella favorece o cozimento do arroz por igual.

Em Sevilha, este prato suntuoso é servido cada vez menos como um prato gastronômico nos restaurantes da cidade, mas apenas industrializado, congelado e comercializado sob o rótulo Paellador, que privilegia as porções individuais e que não tem nada de comum com o "knowhow" da cozinha espanhola.
 E então numa segunda feira dessas... estava eu com uma vontade de grávida, sem estar grávida... pura gula, me invoquei que queria comer paella. Adoro, é um dos meus pratos preferidos, fazia muito tempo que não fazia. Aliás eu amo tudo que vai arroz na preparação, tipo risotos, canjas e etc... O supermercado perto da minha casa tem uma peixaria excelente e bem completa, peguei a receita e fui, decidida a comprar os bichinhos todos. Pensa numa pessoa gulosa disposta, aqui em casa só eu como, meu marido corre de tudo que se cria na água. 

Chegando lá, vi que tinha tudo, mas resolvi dar uma olhada na seção de congelados, vi um pacotinho que me interessou, Ingredientes para Paella da Leardini, achei muito prático, porque é um pacotinho de 300g de mix de frutos do mar, achei também econômico, paguei menos de R$ 10,00. Óbvio que eu li correndo e não prestei atenção no conteúdo do pacote, quando cheguei em casa vi que não eram só os bichinhos, mas também o tempero próprio, prontinho prá fazer a Paella completa.

Só que eu sou muito chata com esses temperos de pacotinho estilo Miojo, pensei... vai ficar com gosto de frutos do mar sabor Miojo... kkkkkkkkkkk. Abri o pacotinho e percebi que na verdade, o tempero era basicamente açafrão, provei e não tinha gosto de Miojo.
Eu tenho por mania, trauma, TOC... não conseguir usar nada que vem pronto, direto do pacote ou lata, mesmo molhos por exemplo... eu refaço, o que eu compro pronto vem  apenas como base ou complemento. Então do jeito de sempre, eu refoguei a cebola e o alho, em seguida acrescentei tomate picado sem sementes e depois cebolinha-verde e salsinha. Refoguei bem até formarem caldo e diminuíssem de volume.

Também sou meio nojentinha com frutos do mar, então eu os escaldei antes em uma panela separada, só uma leve fervura prá não deixá-los crus. Depois de fervidos e escorridos, eu juntei a mistura aos temperinhos e refoguei mais um pouco, até praticamente secar todo o caldo.

Eu gosto de arroz agulhinha tipo 1, aquele branco e fininho, não uso arroz sem lavar mas nem.... kkkkkkkkkkk, sou cheia de TOCs na cozinha como podem perceber, mas vi de perto o processo de parboilização e fermentação de arroz... e olha... aconselho a lavar, tá? Eu lavo muito bem, troco a água umas quatro vezes e deixo secar. Depois de lavado e sequinho, misturei 2 xícaras aos frutos do mar e refoguei por alguns minutos, nessa etapa entrei em crise de identidade, faço do jeito de costume que eu sei ou arrisco esse pacotinho de Miojo? Gosto de emoções fortes e de viver perigosamente, usei o tempero e refoguei tudo junto. Adicionei quatro xícaras de água fervente, mexi bem, baixei o fogo e deixei cozinhar, quando estava quase seco, mexi bem, desliguei o fogo e mantive a panela tampada por  uns 10 minutos.

O temperinho era basicamente açafrão mesmo, não ficou com gosto de comida pronta, muito gostoso, sabor suave, não me deu azia (meu termômetro), aprovado. De início comprei achando que eram só os bichinhos, mas achei muito prático e simples de fazer, acessível prá qualquer pessoa, mesmo sem experiência na cozinha, só os camarões eram bem pequenos, da próxima vez eu quero comprar uns maiores prá dar uma incrementada, porque amo, mas no geral, o produto vale à pena, rendeu 3 porções bem servidas. Lógico não é a Paella tradicional, mas achei uma opção bem boa prá uma refeição rápida, com muito sabor.

A minha receita é bem mais elaborada, com rendimento e custo bem maiores também, receita prá se fazer com tempo, num almoço em família, sem pressa. Eu não gosto muito dessa culinária de todo dia, da obrigatoriedade de cozinhar da vida escrava, mas amo esses rituais culinários de domingo, em que reuno minha família e faço pratos elaborados e todo mundo ama vir aqui, programa que vai tarde adentro e emenda com o café. Já temos data marcada prá fazer a Paella Valenciana, que será no Dia dos Pais, com sobremesa especial.

Deixo aqui a minha receita prá quem quiser testar:

  • ½ xícara (chá) de azeite virgem
  • 1 cebola média picada
  • 4 dentes de alho amassados
  • 2 tomates médios sem sementes picados
  • Cebolinha verde
  • Salsa
  • 3 ½ xícaras (chá) de arroz próprio para paella
  • Água em quantidade indicada na embalagem do arroz
  • 1 taça de vinho branco
  • 2 colheres (sopa) de açafrão
  • 300 g de mexilhão fresco e limpo na concha ou não
  • 300 g de polvo fresco, limpo e cortado em pedaços
  • 300 g de lula fresca, limpa e cortada em anéis
  • 300 g de camarões grandes, frescos e inteiros
  • 300 g de camarões médios, frescos e inteiros
  • Sal à gosto
  • Pimenta à gosto (indicada a pimenta-da-Jamaica)

Modo de preparo
  • Lave o arroz e deixe escorrer toda a água, reserve.
  • Afervente os frutos do mar. 
  • No caso dos mexilhões, se usar com concha, ferva até que se abram, depois de tudo aferventado, separe os frutos do mar e reserve o caldo.
  • Em uma paellera de 30 centímetros ou qualquer panela de fundo raso  e largo (eu uso a minha WOK), aqueça o azeite e frite a cebola e o alho durante 3 minutos, acrescente o tomate e temperinhos verdes, refogue até murcharem bem.
  • Acrescente os frutos do mar e refogue tudo junto por mais alguns minutos.
  • Acrescente o arroz e refogue bem, em seguida, junte o açafrão, o vinho e o caldo reservado, mexa bem até que este se dissolva e deixe cozinhar por 10 minutos.
  • Se o arroz for o parboilizado, recomenda-se cozinhar por 20 minutos com a panela tampada em fogo baixo e, se necessário, coloque mais água.
  • Acrescente tiras de pimentão vermelho, vagens ou ervilhas se quiser, cozinhe por 5 minutos.
  • Acerte o sal, a pimenta e sirva regado com fios de azeite de oliva.
  • Em caso de sobra, conservar na geladeira e consumir em, no máximo, 3 dias.

Experimentem, é uma receita rápida, simples e deliciosa.
Beijos e bom feriado ♥
Follow Me on Pinterest

20 de abril de 2011

Quadro em Arte Francesa com passo-a-passo detalhado


Eu nem sei quanto tempo faz que eu tinha prometido colocar aqui esse passo-a-passo, muita coisa aconteceu e eu me atrapalhei, e honestamente quando eu olhava as quase 30 fotos prá editar... morria de preguiça, mas essa semana eu decidi acabar com tudo de inacabado e incompleto na minha vida, não quero mais nada pela metade, coisas sem terminar, promessas não cumpridas, projetos que não saem do papel, e também não quero mais sonhos que não se realizam. À partir de agora ou finalizo e concretizo as coisas ou então dou fim, chega de postergar, essa palavra se tornou uma constante na minha vida e eu só de ouvi-la  fico em cólicas e com urticária. Eu quero viver e ser feliz agora, com o que tenho e com o que posso. Desabafo feito, vamos ao PAP...


Escolhi essa lâmina da TeC para fazer o quadro, cores contrastantes e muitas sobreposições. Não vou entrar em detalhes de conceito dessa vez, porque já fiz isso aqui, cliquem que vale à pena tem tudo explicadinho e outros modelos de quadros.


Resolvi organizar as lâminas assim aos pares, prá que ficasse mais simples de visualizar o que está sendo retirado da imagem e sendo sobreposto. A primeira lâmina eu deixo inteira, porque é o meu desenho de fundo, na segunda lâmina eu retirei a parede, porque na Arte Francesa trabalhamos perspectiva e profundidade, nesse caso vamos retirar o que está mais prá trás, mais ao fundo da imagem.


Levando em consideração a lâmina anterior, que já está sobreposta ao lado, mas sem colar, somente posicionada, na terceira lâmina retirei a cortina, porque é o que está atrás do violino, e nessa etapa retirei também as flores e folhas maiores, porque essas estão mais à frente também.


Nessa quarta lâmina, eu retirei o tecido azul que estava embaixo do violino e da partitura, porque observando a lâmina anterior, fica fácil perceber que ele está tanto atrás do violino, quanto da vela. Uma dica: flores devem ser trabalhadas quantas camadas forem possíveis, porque dão um efeito mais bonito com várias sobreposições, ficam "repolhudinhas", bem cheias, parecem vivas e por isso, eu mantive novamente as flores e folhas maiores.


Essa é a quinta e última lâmina, lembrando que a quantidade de lâminas depende em grande parte da complexidade do desenho, se ele permite trabalhar tantas camadas ou não, dependendo do desenho eu chego a usar 8 lâminas e já vi trabalhos com 12 lâminas. Nesse caso o que estaria mais ao fundo seria o violino, então eu o retirei inteiro e mantive somente as partes menores dele que estariam em relevo, mantive as flores, mas sem as folhas.


Aqui eu apenas quero mostrar à vocês uma prévia de como ficará, nada está colado, apenas posicionado, coloquei bandejinhas de isopor entre as lâminas, já dá prá perceber o volume, o relevo, as sobreposições.


Aqui a mesma coisa, mas por outro ângulo.


Iniciando a montagem, fundo da moldura pintado de marrom chocolate, primeira lâmina colada, muito cuidado nessa etapa para não ficar com rugas ou bolhas.


Existem várias maneiras de se fazer Arte Francesa, algumas delas são com massa de biscuit, com silicone e fita-banana. Aqui estou sobrepondo a segunda lâmina sobre a primeira, poderia ter usado silicone? Poderia, mas não gosto de usar nas camadas em que a lâmina está mais inteira, porque gasta muito, e o papel ondula, faz aqueles buracos, ondas... prefiro a fita-banana porque essas primeiras camadas maiores não requerem "movimento". Percebam na foto que é importante cuidar principalmente das extremidades, dos pequenos detalhes e não esqueçam que prá cortar a fita assim fininha e pequena, sem mastigar com a tesoura, só usando estilete, em base de corte ou vidro.


Outro detalhe importante... a fita deve ser colocada nas extremidades, mas sempre deixando uma margenzinha, percebam na foto como mesmo olhando de lado, não se percebe a fita-banana, um bom corte do desenho também é essencial, prá que a figura se sobreponha certinho, sem excessos nem faltas.

As flores... todo mundo tem dúvidas e dificuldades quando chega a hora de montar os cenários e temos arranjos de flores. Antes de tudo, algo que eu considero imprescindível na Arte Francesa: boleador e base de EVA. O boleador é o que vai dar movimento e vida à vários objetos, que vai torná-los mais reais. Ele faz toda a diferença, sem essa ferramenta, o trabalho fica plano, chapado, achatado. Nesse caso vamos bolear pela frente do desenho, em movimentos circulares suaves, fazendo as bordas da flor "subirem" um pouquinho, que é como ela é de verdade, quando está na natureza.


Observem que depois de boleada a flor fica mais gordinha, arredondadinha. Flores por exemplo requerem vida, forma, movimento, então optei pelo silicone, porque com a fita-banana ficaria achatado.


Quando houverem folhas, uma dica bacana é colocar uma gota de silicone sobre a folha da lâmina, e posicionar a folha recortada de forma a parecer que ela está  embaixo da flor, deixando a pontinha mais levantada.


Depois de posicionar a folha, eu dou uma leve pressionada na base, dessa forma. A base fica escondida embaixo da flor e a pontinha fica mais levantada. Nesse caso em que a folhinha tem uma nervura central, eu dobro a folha acompanhando essa ranhura, deixando-a levemente fechadinha. Tudo isso dá mais realidade ao projeto.


E agora vamos trabalhar a parte final, deixar essas flores mais reais e vivas. De cada lâmina que fui usando, fui retirando as flores, mas prá não ficar apenas sobrepondo-as inteiras, resolvi desmembrar um pouquinho mais cada uma delas, observem na foto como recortei, respeitando o desenho e as sombras ao redor.


Aqui as partes já separadas, prontas prá serem boleadas.


No passo anterior eu boleei pelo direito, nesse passo eu farei pelo avesso, porque agora estou trabalhando o miolo da rosa, a pétala da frente que se fecha sobre as demais, nessa etapa eu quero as bordinhas viradas prá baixo, e não prá cima.


Para posicioná-las, picos altos de silicone, para que fiquem bem cheinhas, gordinhas...


Como as rosas são bem trabalhadas, nos permitem sobrepor ainda mais um detalhe, observem na foto o pedacinho que retirei, e nessa etapa também colocaremos os detalhes do violino.

Detalhes do  violino boleados pelo avesso, com as bordas prá baixo, detalhes da rosa boleados pelo direito com as bordas prá cima.


O fato de alternar na mesma flor o modo de bolear, nos confere mais detalhes, mais realidade ao cenário. E isso faz muita diferença no efeito final.


Aqui a peça pronta, já com moldura em Pátina Provençal, que eu também já ensinei aqui como fazer, com passo-a-passo.

Outros modelos de quadros:


Sei que o post foi longo, mas a técnica realmente é detalhada e esse era um pedido que eu tinha ficado de atender, espero que prá quem tinha dúvidas ou apenas queria conhecer, tenha servido e seja útil. Quaisquer dúvidas, comentários ou algo que queiram acrescentar, entrem em contato, é sempre um prazer!

Beijos ♥
Follow Me on Pinterest

19 de abril de 2011

Caixa de medicamentos em scrap decor

Essa foi mais um daqueles desafios que surgem, fiz essa peça prá Arte Roter, é uma caixa grande e alta, para guardar medicamentos, acabei não fotografando dentro, mas ela tem uma bandeja prá guardar curativos e comprimidos. 

O lojista me pediu uma caixa sóbria, elegante, mas não apagada, queria estilo mais retrô, não muito colorida. Na tampa eu deixei um espaço entre as flores e a rasgadura em vermelho, esse espaço é prá colocar a palavra remédios, um aplique em MDF ou se fosse o caso, daria prá colocar nome também.

Alguns detalhes: flores sobrepostas na tampa, recortadas à mão, trabalhadas com boleador, atrás e na lateral, bolas em cores retrô, papéis da coleção da Ivy Larrea, papel envelhecido, tipo pátina e bolinhas usado de fundo são da coleção da Ivana Madi, a cor combinou perfeitamente. Para os acabamentos, fita de gorgurão estreita vermelha, colada com fita duplaface; no miolo das flores colei strass para dar brilho e volume e na lateral da tampa colei sianinha vermelha larga.


Foi uma peça rápida e fácil de fazer, onde trabalhei mais as sobreposições de papéis, não utilizei quase nada de ferramentas, nem furadores, praticamente tudo feito à mão. Técnicas simples e básicas: colagem, recorte, sobreposição, rasgadura, uma opção que qualquer um pode fazer com pouquíssimo material.

Beijos ♥
Follow Me on Pinterest

Make & Take na Creare - Fotos das últimas aulas


Essas são as fotos das aulinhas que fazemos na Creare, são fotos dos últimos Make & Take, o próximo será no dia 30/04, com horário a confirmar, venha se divertir e aprender conosco!


O projeto do dia 12/03 foi essa solapa (aba) para guloseimas, é a segunda da série de embalagens simples e rápidas, que podem ser usadas nas mais variadas ocasiões e nos permitem uma flexibilidade muito grande em relação à cores e temas. Ficam lindas também como lembrancinhas de festas infantis.

Algumas fotos da turminha, mesa lotada #adoro. Lá na pontinha da mesa, na foto do meio, a Andri, que também é professora da Creare e estava com uma aluninha.
Essa dupla é sempre presença certa nas minhas aulas, a Rosana e a Paty, aproveitem e venham conhecer o blog das meninas, elas não param, sempre tem novidades, coisas legais e projetinhos lindos! A Rosana postou sobre o MT aqui e a Paty também fez um post no blog dela, aqui.

Paty mostrando o projetinho dela e o meu, e o sorriso? Essa mulher é simpatia pura! Sempre alto astral!


Eu tinha ficado em débito com vocês, prometi colocar uma foto melhor das sacolinhas de papel kraft aí estão, as sacolinhas que foram feitas na primeira aula, decoradas de duas formas diferentes. Dificuldade zero, baixo custo, fácil e rápido de fazer!


A terceira e última dessa série é o cone decorado, uma opção muito legal, com alcinhas, dá prá pendurar no trinco da porta e fazer surpresinhas, para fazer as alças eu usei fita de cetim e voil. Fizemos essa aula ano dia 26/03, em breve eu posto prá vocês as de abril.






Algumas fotos das meninas trabalhando, turma lotada novamente, fico muito grata, muito feliz. A Rosana postou aqui sobre a aula e a Paty postou aqui. Obrigada meninas pelo carinho!!


Obrigada à todas vocês pela participação nas nossas aulas, por usarem nosso material e prestigiar a loja. Sejam sempre bem-vindas! Eu adoro estar com vocês fazendo o que amo, ensinar... e não são poucas as vezes que também aprendo, e não falo só de scrap, mas de valores humanos e vida.

Conforme eu disse no início a próxima aula é dia 30/04, eu volto confirmar o horário com vocês e em breve, nossa agenda de maio. 

Beijos e boa semana ♥
Follow Me on Pinterest
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...