Dicas de profissionalização do artesanato informal - Parte II

11:38 Tays Rocha 9 Comments

Continuando as dicas que dei aqui... essa segunda parte aborda um pouquinho mais da parte comercial e pessoal.


- Quando estamos iniciando, a parte mais difícil é onde e prá quem vender, como colocar seu produto no comércio, torná-lo conhecido, conseguir aceitação. Um dos caminhos que existem e que vejo muita gente usando é o da consignação.  Você deixa o produto em uma loja, se vender, a pessoa te paga e em troca você dá uma comissão combinada previamente. É uma forma do lojista trabalhar com seu produto sem investir e de você ter seu trabalho divulgado e conhecido. Bem no início eu trabalhei dessa forma, mas nem tudo é assim tão simples, me incomodei muito e hoje prefiro não vender a ter que deixar minhas peças consignadas. Se você optou por divulgar seus produtos dessa maneira, apenas lembre-se de tomar alguns cuidados, eu evito por vários motivos: 
  • A peça pode estragar, e quando você for  buscá-la, retirá-la na loja para renovar poderá estar em péssimo estado, devido ao manuseio excessivo, pó, e falta de cuidado. 
  • Esse tempo que ela fica "parada" na loja você deixou de oferecer a outros clientes potenciais, de mostrar prás pessoas que frequentam sua casa.
  • Se houver algum dano, dificilmente o lojista vai se responsabilizar em pagar e você assumirá o prejuízo.

- Calcule um preço justo e antes de produzir, verifique vários fatores:
  • Quem é seu publico alvo, ou seja prá quem você vai vender? Vai atuar em algum segmento específico?
  • Quais são os seus gastos mensais com a produção? Você deve levar em consideração seus custos fixos como energia elétrica, água, aluguel se houver, etc...
  • Qual o tempo dispensado na mão-de-obra, quantas horas você gasta em cada projeto?
Existe uma continha que o pessoal faz por aí que é de multiplicar o preço de custo por 3, atribuindo que 1/3 seria material, 1/3 mão de obra e 1/3 seu lucro, eu não uso essa conta e já aviso prá cuidarem com isso, porque acho esse parâmetro bastante falho. Essa continha deixa de levar em consideração algo muito importante: TEMPO DE EXECUÇÃO. Quando eu fazia bijuterias trabalhava com miçangas e também com cristais e strass Swarovski, mas uma coleira de miçangas me dava muito mais trabalho do que uma coleira Swarovski e se eu apenas multiplicasse o custo por três estaria tendo um valor totalmente deturpado, hoje eu estipulei um valor de "hora-trabalho", a minha hora vale X Reais e eu a somo ao custo da peça e acrescento também o valor referente às despesas fixas, é mais complicado? É sim, mas também é muito mais justo, prá mim e pro meu cliente. Caixinhas para lembrancinhas por exemplo custam cruas menos de R$ 1,00, mas dão mais trabalho do que caixas maiores, lembrem-se, devemos cobrar pela complexidade, personalização e exclusividade do trabalho, não apenas jogar um lucro aleatório. Em relação à preço, recomendo também ter tabelas separadas para pequenas e grandes quantidades, atacado e varejo, porque na hora de comprar o material em maior quantidade, sempre conseguimos descontos e preços melhores, eu repasso essa proporção ao meu cliente.

- Tenha cuidado ao negociar com amigos e parentes próximos, são os primeiros a nos incentivar, mas também a achar que são merecedores de em média 90% de desconto, acham que pela proximidade e vínculos temos a obrigação de vender à prazo, parcelado ou fiado. Amigos, amigos; negócios à parte...

- Jamais prometa aquilo que não pode cumprir, acabamentos impossíveis, temas indisponíveis, pegar uma encomenda com alguma matéria-prima em falta (que você prometeu conseguir), prazos apertados.

- Saiba administrar seu faturamento, quando entrego uma encomenda, no ato do recebimento eu registro  a entrada no livro-caixa e separo o valor da mão-de-obra e despesas, esse valor eu deposito novamente, é o meu capital de giro, o lucro eu guardo, ou reinvisto em novidades, cursos ou em algum benefício pessoal.


- Educação é tudo, procure atender com simpatia e bom-humor. Todo mundo  tem problemas, mas ninguém é obrigado a compartilhar com você seus problemas pessoais.

- Evite abordar alguns assuntos com clientes os quais você não conhece e não tem intimidade. Religião e política, assuntos desagradáveis como tragédias, mortes e doenças. Evite falar mal de quem quer que seja, saiba se posicionar de forma neutra em relação à certos comentários.


- Exercite a sua criatividade, leia revistas específicas da sua área, visite feiras, bazares e exposições, pesquise na internet o que há de novidade, acompanhe fóruns, sites e blogs referente aos produtos com os quais você trabalha, inspire-se! E o fundamental: não copie... CRIE!!!!

- Tenha atitudes e pensamentos positivos, trabalhe com bom humor, isso só atrai boas vibrações e boas energias.


- Cuidado com alguns hábitos:
  • Não fume na presença de clientes.
  • Cuide de sua higiene pessoal, a higiene e limpeza das mãos é essencial, não é porque você trabalha com artesanato que isso signifique que tenha que ter unhas e mãos descuidadas.
  • Não importa qual é o seu estilo, mas procure se apresentar sempre bem arrumada, vestida de forma adequada ou pelo menos com um avental durante o horário em que está produzindo. A gente acaba se sujando sim de tinta, cola, etc... mas nem por isso você precisa estar vestida com roupas velhas, rasgadas, manchadas, etc... isso denota relaxo, desleixo pessoal.
 

- Conheça seus clientes, procure observar seus interesses, o que é mais procurado, do que mais gostam. Desta forma você passa a saber como direcionar seu trabalho, quando houverem novidades você sabe a qual cliente interessa, a quem você pode oferecer. Por exemplo, prá cada 10 caixas de medicamentos que eu vendo, apenas 2 caixas de costura são vendidas, com o passar do tempo percebi qual produto eu vendo melhor e quais produtos eu preciso manter um estoque maior.


- Evite deixar peças inacabadas, às vezes começamos uma peça e no meio do caminho desistimos da ideia, mas mude seu projeto, refaça, não deixe sem terminar. Tudo que fica inacabado nos gera frustração e acumula energia negativa, remete à desorganização, portanto, termine sempre.


- Se tiver peças "encalhadas" que você não conseguiu vender, faça promoção, dê um desconto maior, ou separe essa peça prá fazer algum tipo de sorteio ou até mesmo presentear alguém, um cliente assíduo. O importante é girar o produto, ter um estoque diversificado e atual. Se isso não funcionar ou você não conseguir encaixar seu produto no que citei acima, não hesite, recicle! Refaça a peça, mude a cor, mude a técnica e a gravura, renove!
Essas dicas que coloquei aqui não seguem uma receita específica, são apenas coisas que fui aprendendo ao longo desses 7 anos de trabalho, errando e acertando, vendendo muito, refazendo algumas peças, tomando alguns calotes... rsrsrs. Espero que seja útil à quem está iniciando, que realmente deseja fazer da arte seu trabalho. 
Se falar em artesanato exatamente, posso dizer que comecei muito cedo, aprendendo ponto cruz e tricô, ainda quando criança, sempre observando as coisas que minha avó fazia. Em 1997 eu resolvi fazer bijuterias, minha turma de Farmácia da UFPR tinha 42 mulheres e 7 homens, percebi aí uma grande oportunidade, com as peças que vendia na faculdade conseguia custear os ônibus que eu usava, almoço, xerox e paguei toda a minha comissão de formatura, além das muitas baladas é claro... rsrsrsrs. Meu pai me ajudava apenas com livros e despesas maiores. Fiz biju até 2005 e paralelamente havia começado a pintar country e fazer decoupage em 2003, nessa época fazia também sabonetes e cosméticos artesanais. Em 2006, quando o Leo nasceu, descobri o scrapbooking e me apaixonei perdidamente, e esse ano comecei a trabalhar com os tecidos e feltro. O artesanato sempre foi importante na minha vida, tanto do ponto de vista financeiro como também na realização pessoal, de fazer por e com prazer. E resumidamente, esse é um pedacinho da minha história, a ponta do iceberg... que aos poucos vou dividindo com vocês, porque história prá contar sobre esse assunto é o que não me falta.

Desejo à todos que queiram atuar nesse ramo muita criatividade e sucesso!!!

Beijos ♥

Leia também

9 amigos comentaram, comente também!:

Adorei seu blog dei uma olhadinha rapida mas ja sei que vou passar mais veses.
bjussssssss

Peia e Nêssa disse...

Olá, Gostei muito do seu blog. Já estou seguindo. É muito bom essa interação e troca de informações.


By Nêssa

Margaretss disse...

Muito legal esse texto. Com informações otimas e muito bom de ler.
beijocas

Tays Rocha disse...

Meninas do Tricotando e Criando, adorei a visita, sejam bem-vindas ;o) Beijocas.

Tays Rocha disse...

Oi Maragaret! Aorei vc por aqui amiga. Beijos e sinta-se em casa.

Tays Rocha disse...

OI Nêssa! Obrigada por me acompanhar, seja bem-vinda e volte sempre! Beijocas.

Edi disse...

Amei seu blog, as dicas são ótimas, era exatamente o que eu precisava! Parei de trabalhar quando meus gemeos nasceram, e agora o artesanato alem de me distrair, tem dado retorno financeiro tambem!
Abraços

FLORZINHA disse...

Olá Tays, adorei esse texto, é o que realmente preciso aplicar no meu trabalho. Obrigada por partilhar e que Deus te abençõe sempre.
Bjs

Olá Tays!!!Estava a procura de dicas super importantes e dei de cara com seu blog ,vai me ajudar bastante pois trabalho com biscuit e mdf e tenho uma certa dificuldade em colocar preços em minhas peças.Beijos...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...